Autor: Tatiana

A pele em que eu habito

A pele em que eu habito também é bipolar. Dias atrás eu fui na loja de roupas que costumo ir sempre para comprar roupas para a minha filha, mas por incrível que pareça comprei algo para mim. Comprei uma calça jeans tamanho 40, que ficou um pouco larga mas confortável, daquelas que tem vários rasgos na parte das  pernas. Também comprei uma camisa preta com um decote lindo na altura dos seios. A pele em que eu habito é evidente, clara e transparente. Quando mostrei as roupas para o meu marido ele desdenhou das minhas escolhas e disse que eu...

Read More

Fogo Paulista

Esse texto vai ser meio sem noção, mas juro que é sobre algo “sério” (). Vou falar sobre o inesquecível “Fogo Paulista”. A primeira vez que bebi tanto e fiquei tão louca e bêbada que perdi a consciência foi num carnaval em Guapimirim, cidade onde meus avós eram tão conhecidos e respeitados que existe rua, posto de saúde e sei lá mais o que com o nome deles. Eu e meus amigos entramos num bar e não tínhamos muito dinheiro, mas como todos os jovens do mundo nós queríamos ficar “doidões” e “pirar” no carnaval. Sabíamos que precisaríamos de...

Read More

Álcool

Hoje acordei pensando nisso, em álcool, alcoolismo, vício, transtornos psiquiátricos e mentais e afins. E como me dei conta de que o álcool é totalmente bipolar. Antes de qualquer coisa quero lembrar que eu bebo pra caralho. E ponto. Já frequentei o AA por quase um ano pois quase perdi meu casamento e minha família por causa disso. Nunca me considerei alcoólatra pois tinha uma ideia preconcebida de que um alcoólatra bebia o dia todo, desde a manhã no bar, sujo, na sarjeta, essas coisas. No AA aprendi que não é assim. É bem mais complicado do que isso....

Read More

Not Alone

Preciso voltar a falar de um assunto que me incomoda muito mas que precisa ser debatido e trabalhado constantemente – o suicídio. Isso voltou a me incomodar depois que assisti o documentário “Not Alone” no Netflix. “Not Alone” é um documentário que foi produzido por uma garota depois que a melhor amiga dela cometeu suicídio e logo em seguida várias outras pessoas da comunidade em que ela vive. A questão do suicídio para quem fica é a culpa, a sensação de que poderia ter feito alguma coisa, a incompreensão do porquê. A questão do suicídio para quem apela a isso em geral tem a ver com a dor, com o sentimento de inadequação, com o desespero. A maioria das pessoas que comete suicídio ou tenta se matar pratica automutilação e se autoflagela durante muito tempo antes disso acontecer. Ou seja, existem sinais SIM. Por ser suicida eu conheço intimamente tudo isso, eu consigo falar disso da maneira que eu falo. Estou viva por causa de um milagre e porque meu irmão chegou no meu apartamento a tempo de me levar para o hospital, onde fiquei na UTI e depois fui transferida para um quarto onde fiquei por vários dias. “Not Alone” me trouxe todas essas memórias de volta e as memórias dos meus tempos de escola e faculdade. Sempre estudei em colégio particular, minha família tinha muito dinheiro e...

Read More

Eu e o monstrinho dentro de mim

Acabei de voltar de uma saída com uma galera. Cheguei em casa e bateu uma “bad” do caralho. Fiquei pensando nas coisas que eu faço quando estou com outras pessoas e em como fico puta depoispor causa de algumas dessas coisas. Ninguém sabe que quando eu saio, saio eu e o monstrinho dentro de mim. Muita gente fica dizendo que isso acontece com todo mundo. Vão se foder! Quem tem transtornos psiquiátricos tem “literalmente” outras pessoas vivendo dentro de si. Não é uma exclusividade dos esquizofrênicos, e não é igual às outras pessoas. E é tipo uma relação de...

Read More