Autor: Tatiana

Música, cultura e bom gosto

A dica de hoje envolve música, cultura e bom gosto no Espaço Cultural da França, ou A Maison. Tenho ido a vários eventos lá e cada vez mais me surpreendo com o bom gosto nas escolhas e a sensibilidade para transformar um local tão aconchegante e, pasmem, pequeno, num espaço de transformação e compartilhamento de cultura. O Café do local é um evento à parte com quitutes deliciosos, muitos típicos da França, bebidas idem, embora eu sempre peça água ou mate por causa da minha alimentação. Para os fãs de literatura existem milhares de exemplares, todos em francês, para...

Read More

O ano é 2017

O ano é 2017, sim 2017, século 21, novo milênio, blá, blá, blá. Eu vivo numa redoma chamada rio de janeiro, num país chamado Brasil. Até pouco tempo atrás eu não tinha noção de onde eu vivia de verdade e de como era a realidade do universo. O ano é 2017 e meu bairro teoricamente é pacífico e seguro, mas ouço tiros regularmente quando estou deitada no meu quarto assistindo tv e não posso circular em algumas áreas por causa dos bandidos e traficantes da CDD, da quintanilha (antes pacífica), da covanca, da Araticum, da Pau da fome, da...

Read More

Métricas, formatos e padrões

Não escrevo pensando em métricas, formatos ou padrões. Escrevo sobre o que sinto e o que sinto não pode ser ensaiado, ou formatado. Quero que me ouçam, que riam, que chorem que vibrem, que gozem. Quero que se percam e se sintam livres, nem que seja apenas por um segundo. Sem métricas, formatos ou padrões. Vejo os zumbis, não vejo mais pessoas. As pessoas se foram. Elas sucumbiram à máquina social conectadas por cabos, redes e wi-fi. Elas sugam a eletricidade mas não tem energia. Quem ainda sente o cheiro da chuva? Agora ela tem uma explicação científica, lógica,...

Read More

Galeto do Anil

Entrei nesse lugar por acaso. Estávamos rodando de carro por horas procurando um lugar para almoçar depois da academia no digníssimo bairro onde moro e que não tem nada aberto aos domingos. De repente, de saco cheio, demos de cara com o Galeto do Anil. A primeira impressão é horrível. Fica na esquina da rua, o letreiro está velho e gasto e tem cara de boteco de segunda. Mas notamos que estava bem cheio e as mesas eram compostas por famílias, por pessoas alegres, como se todos os vizinhos fossem no restaurante todo domingo. O Galeto do Anil é...

Read More

Um homem de família

Ok. Vou começar meu post dizendo que o filme é um clichê, que os atores tem uma atuação bem mediana, principalmente o Gerard Butler e que os críticos odiaram. Mas eu ameeeeei! Um homem de família foi uma terapia e uma puta reflexão para mim e eu achei o filme espetacular. Pronto, falei. Concordo com os críticos a respeito de tudo o que uma análise acadêmica e profissional diria do filme, mas a experiência do filme em si não se resume apenas a isso. Como expectadora eu tive uma catarse que não tinha há muito tempo indo ao cinema....

Read More