Sei que vai parecer loucura, mas decidi virar atleta.

Eu estava me arrumando para sair com minha família, impaciente, meio puta porque eles estavam demorando, quando meu marido falou que só ia sair quando acabasse a reportagem que estava passando no SporTv.

Parei pra prestar atenção no que estava passando e acabei sentando na cama. Era uma reportagem sobre o novo objetivo de vida da triatleta Fernanda Keller – ajudar pessoas comuns a se tornarem atletas. Nesse caso específico, era um desafio de tornar três pessoas que tinham passado por traumas pesados a terminarem o Iron Man.

Quando vi a história de vida dessas três pessoas resolvi assistir até o fim também. E me identifiquei um pouco com o que estava vendo. Muito foda. No caso deles eram coisas bem mais sérias. Acidente de carro, leucemia, surdez, uma quase paralisia.

Eu pensei na minha vida. Em toda uma vida lutando contra a depressão, o transtorno bipolar, as crises eufóricas, as tentativas de suicídio, o sedentarismo, o excesso de peso. Porra, eu acabei de perder 25 kg, estou malhando pra cacete, meu corpo é outro, tudo está virando massa muscular.

Fiquei emocionada com o programa. Os três chegaram ao final com bastante dificuldade, mas chegaram. Porra, se eles chegaram eu também consigo chegar. E, assim, de repente, eu decidi que eu preciso tentar, eu preciso incluir isso na minha listinha de coisas que preciso fazer antes de morrer.

Não tenho dinheiro, não tenho condições de ter um instrutor como a Fernanda Keller, mas tenho força de vontade, tenho o pessoal da academia pra me dar força, pra me dar dicas, tenho nutricionista pelo plano de saúde, tenho meu marido para me apoiar.

Vou correr atrás dessa parada. Vou fazer acontecer. Vou começar com corridas menores. Vou começar com esportes mais simples. E quando estiver pronta vou me inscrever no Iron Man, não para vencer em primeiro lugar, mas para terminar e ver que eu fui capaz, que eu consegui.

Precisamos nos desafiar sempre. Precisamos testar nossos limites e colocar nossos sonhos em patamares altos. Não podemos estagnar.

Um dia escreverei um post sobre como foi terminar o Iron Man. E lembrarei desse post que estou escrevendo agora. E vou me achar muito foda, e realizada. Espero que vocês se desafiem também! A vida fica um tesão quando fazemos isso.