Nunca pensei que eu escreveria uma crítica sobre o filme Velozes e Furiosos 8, até mesmo porque eu nunca pensei que assistiria esse filme. Pelo menos, não no cinema, e não com tamanho interesse que me levasse a escrever uma crítica sobre ele. Pasmem!

Deixando todos os meus pré conceitos de lado e todas as babaquices que ouço meus amigos pseudo intelectuais falarem a respeito, só tenho uma coisa a dizer sobre o filme – ele é ótimo!

Se alguém tivesse me perguntado um dia porque eu teria ido assistir a esse filme, eu certamente teria respondido: por causa do Vin Diesel e do The Rock. Ok, também foi por causa disso, mas depois de ter assistido ao filme minha resposta mudou.

O filme é ótimo, surpreendentemente bom. Prendeu a minha atenção do início até o fim. As cenas são ótimas, o roteiro é bom para um filme de ação e as atuações também, tirando os clichês já esperados, as frases feitas e alguns closes desnecessários.

Tá, tem muitos exageros, como sempre. Não, não vou dar spoiler, mas qualquer um que ver o filme vai achar a mesma coisa. Tem umas coisas que não são possíveis gente, a física não permite e ponto. Mas a gente releva porque faz o filme ficar mais emocionante. rsrsrsrs

Velozes e Furiosos 8 é diferente dos outros, embora lembre muito o padrão do filme 6 da franquia, mas mantém o estilo carros, alta velocidade, lealdade e família, locações espetaculares e cenas impossíveis na vida real. Ah, e claro, amor. Fizeram algumas homenagens lindas ao Brian (Paul Walker) que fazem jus ao carinho e ao vazio que ele deixou, mas que permitirão deixar a marca dele na franquia.

Eu não gostei da atuação da Charlize Theron, achei estereotipada demais e forçada, e achei o papel dela muito surreal. É uma vilã com um poder absurdo, mas que depende do Toretto pra fazer uma coisa que ela mesma poderia ter feito, ou melhor, que ela não precisava fazer, pois pra atingir o objetivo dela ela poderia agir sozinha com o poder que ela tinha.

Sei lá, achei a relação entre a vilã e o Toretto mal desenvolvida, mas confesso que se ignorarmos esse deslize e apenas nos entregarmos à fantasia do cinema, as cenas são de tirar o fôlego.

A verdade é que Velozes e Furiosos 8 não é um filme para ser reverenciado enquanto “cinema”, é um filme para ser curtido, para divertir, e faz isso muito bem. É adorável o modo como The Rock e Statham fazem as cenas ficarem leves e divertidas, e as risadas que o Tyrese Gibson consegue arrancar de todos.

E eu nunca fui assistir a um filme com o Vin Diesel ou o The Rock esperando ver uma grande atuação, eu sempre fui para rir ou para babar, simples assim.

Então, é isso. Não vi todos os filmes da franquia, mas de todos os que eu vi, esse foi o que eu mais gostei. Mesmo com as cenas impossíveis, com as atuações medianas já esperadas, e com tudo o que a gente já conhece, eu adorei o filme e prendeu a minha atenção.