Precisamos falar sobre Hamlet. Ele reapareceu numa versão espetacular que está em cartaz no CCBB feito pelo Armazém Companhia de Teatro. Eu fui assistir porque estava barato, porque era no CCBB, porque é um clássico, porque é Hamlet.

Torci o nariz para a cenografia assim que sentei na cadeira. Revirei os olhos quando a peça começou por causa dos efeitos. E quando a peça terminou saí com a certeza de que foram algumas das coisas que mais me encantaram em Hamlet.

Não vá esperando pelo convencional. De convencional ali só o escopo da peça e algumas passagens originais de texto.  Eles conseguiram ultrapassar o convencional e fazer o diferente ser melhor.

O timing dos atores é perfeito e a harmonia entre eles idem. Todos brilham em seus momentos e conseguem prender a atenção dos espectadores. O elenco é composto por Patrícia Selonk, Ricardo Martins, Marcos Martins, Lisa Eiras, Jopa Moraes, Isabel Pacheco e Luiz Felipe Leprevost. A direção é de Paulo de Moraes.

No início achei as falas um tanto exageradas e caricatas e a impostação de voz desarmônica com as cenas. Mas depois percebi que isso muda de cena em cena, de momento em momento.

A interação entre tecnologia e tradição também ficou perfeita. O modo como eles usam os efeitos, os jogos de luzes e principalmente o som para conectarem alguns momentos e chamar atenção em outros é fantástico. O som inclusive assusta às vezes.

Achei o intervalo da peça mal colocado no tempo total, pois a peça tem 2h 15m e o intervalo aconteceu faltando cerca de 20 a 30 minutos para a peça terminar. E a peça começou com um atraso de quase 30 minutos, não sei o motivo, na verdade não perguntei.

Faço um elogio especial à atriz que interpretou Ophelia, a amada de Hamlet,  que tem uma voz belíssima e é muito marcante e ao ator que interpretou Horácio por seu jeito bonachão e suas canções também.

A atriz que fez Hamlet é um caso à parte, pois ela é tão intensa, tão profunda, que na maior parte do tempo nem lembrei que ela era uma mulher interpretando um homem. Ela é incrível e o modo como nos faz sentir as emoções de Hamlet são absolutamente autênticas e verídicas.

Um parabéns extra pela ótima troca dos cenários durante a peça e pelos figurinos também. E um parabéns para a equipe responsável pela iluminação e som.

Vou assistir novamente com certeza e na próxima vez tentar falar com eles e tirar fotos para colocar aqui.

Assistam. A peça é fodarástica! O elenco idem. Vale a pena!