Quero fazer um adendo ao post “Sobre o aborto”. Acho que ficou claro que não expressei claramente a minha opinião sobre o assunto, falei apenas sobre a minha própria experiência. O assunto ainda não é bem definido na minha cabeça, entretanto tenho algumas opiniões bem formadas sobre o tema.

Entretanto, quero deixar uma coisa bem clara. Desde que passei por esse aborto, nunca mais precisei passar por essa experiência novamente, pois aprendi. Uso sempre camisinha, tenho controle do meu período menstrual, infelizmente não posso tomar pílula nem nada com hormônios por causa de um problema de saúde, mas todas as vezes que desconfiei que pudesse ter vazado da camisinha, ou acontecido qualquer acidente, eu tomei a pílula do dia seguinte que é gratuita para qualquer mulher em qualquer posto de saúde e vendida a preços acessíveis em qualquer farmácia.

Tentei colocar o DIU, mas meu útero também tem um problema e para colocá-lo preciso passar por uma cirurgia com anestesia e internação, então desisti. Já usei o diafragma, mas não me adaptei. Enfim, o que eu quero dizer é que não existe desculpa para engravidar hoje em dia, pessoal! Existem milhões de métodos anticoncepcionais, inclusive, gratuitos, disponíveis para homens e mulheres.

A única vez que engravidei depois do aborto foi por causa de uma camisinha estourada, numa época em que não havia ainda a divulgação e o acesso à pílula do dia seguinte, mas minha mãe já havia falecido e eu conversei com meu namorado, que hoje é o meu marido, e nós tivemos nosso bebê. E eu teria tido, mesmo que ele não quisesse participar.

Porque, EU, não queria passar pela experiência do aborto novamente, porque EU não teria coragem de passar por aquilo de novo. Mas estou falando de mim. Não julgo as outras pessoas e suas escolhas, embora em alguns casos, não compreenda, mas no meu caso, é assim que penso.

Estou há 17 anos com a mesma pessoa e nunca engravidei de novo, porque eu me cuido, porque nós dois nos cuidamos, porque nós dois tomamos cuidado. Não tenho opinião definida sobre o aborto, não digo que sou contra e nem a favor, depende de muita coisa, mas no meu caso, não faria novamente.