Essa lembrança,
corpo coberto de corpo,
aroma de bali, de longe,
frases feitas, um monge
não liberto, um escravo,
nunca paro.
Um peso, mais peso,
ar. E vai, e vai, e volta,
nada de nada, sem falta,
algemo com as pernas,
sempre mando.
Tanta classe,
as rédeas dos meus cabelos,
cavalga, acalma, sem alma,
destrói. Frágeis paredes, não cabe,
eu dou.
Sempre a loucura,
fluidos, gritos, rito,
teu ímpeto, meu mito,
alta classe e sarjeta,
eta.