Acho que a idade, a maturidade, o passar dos anos fazem com que possamos perceber o que realmente importa na vida. São poucas coisas além de panelas limpas, louça lavada e pequenos momentos.

Com o tempo passei a reparar muito na casa das pessoas, não só por causa do meu T.O.C. irritante com limpeza e detalhes (devo ter algum aspecto estranho em Virgem no meu mapa astral), mas também porque isso me mostra como elas dão valor à vida e a esses pequenos momentos.

Antes o que importava era TÃO material e fútil na minha vida e agora eu me contento com um almoço na mesa do jantar com minha família e amigos. Também me faz muito feliz tomar chá de manhã e antes de dormir.

Esses pequenos momentos para mim valem ouro. Deitar na minha própria cama com as pernas para cima no meu travesseiro especial para isso e só ficar ali, nem preciso assistir a tv.

Viajar para Atibaia e ficar na casa da minha comadre e do meu compadre. Ela, minha amiga de infância, e ele a grata surpresa cheia de amor que entrou na vida dela, e na minha.

Ver as crianças fazendo bagunça, gritando. Tomar sorvete de nozes, cereja e chocolate amargo na sorveteria Nevaska. Comer absolutamente QUALQUER COISA que o meu compadre cozinhe, pois ele é espetacular. Passear pela cidade… Ter aqueles horários certinhos para cada refeição maravilhosa.

As refeições na casa deles são muito especiais porque SEMPRE comemos todos juntos na mesa, conversando, rindo, vendo programas legais juntos na tv… (Pronto, comecei a chorar, cacete!)

Deitar à noite no quarto de hóspedes, que para mim é um universo paralelo com o meu nome escrito e feito só pra mim, ou deitar no quarto da minha linda sobrinha do coração e ficar observando ela lendo seus livros. Assistir filmes com a minha sobrinha.

Pequenos momentos como estar com os meus irmãos o tempo todo para QUALQUER COISA. Tomar aquela cerveja gelada com o caçula para filosofar, falar sobre a vida ou simplesmente relaxar no bar do Zé ou do Portuga.

Tomar conta dos meus sobrinhos quando eles precisam e me encher com o amor que eles me dão e rolar com eles pelo chão, ensinar coisas novas, ver eles crescendo e aprendendo tanta coisa nova e se tornando pequenos homenzinhos.

Nossos churrascos em família na varanda dele, cheios de barulho, de gritos, choros de bebês agora, cunhado dormindo em qualquer lugar que encosta, cunhada ficando altinha com qualquer copinho de caipirinha que toma… rsrsrsrsrsrs

Ter a minha irmã ao meu lado me aconselhando, me ajudando a não fazer tanta merda, cuidando de mim, mesmo quando ela tem tanta coisa dela pra cuidar. Ter tido a benção de estar ao lado dela num dos momentos mais importantes ajudando com os gêmeos desde o primeiro momento e acompanhando eles até os 5 meses, quando ela voltou a trabalhar.

Cada momento com ela e com o meu irmão vale o fato de eu estar viva. (Aff, comecei a chorar pra caralhooooo).

Pequenos momentos com meus filhos do coração, ex-alunos que se casaram e se tornaram parte da nossa família, o filho do meu compadre que eu vi crescer e se tornou um homem lindo, jovens que conhecemos no magistério, no trabalho e que passaram a fazer parte das nossas vidas… (Vou inundar o apt)

Ter as minhas melhores amigas e amigos, que mal cabem nas duas mãos ou numa mão, mas que são porto seguro, colo quentinho, ombro amigo, parceiros de noitadas e mil histórias, mesmo morando longe, mesmo estando longe, mesmo quando ficamos sem nos ver tanto tempo, mesmo que moremos quase do lado…

Acordei hoje de manhã, um sol fodarástico lá fora, e tudo o que eu consegui fazer foi agradecer. Pela infância maravilhosa que eu tive, pelo pouco tempo que eu tive com meus pais e avós, por ter os irmãos que eu tenho, as crianças lindas e gentis que geramos, um lar que é meu num mundo onde isso é tão difícil, um carrinho “acabadinho” mas que nos leva pra qualquer lugar, um marido que me respeita e me ama, um trabalho, a chance de estudar, saúde para todos nós…

O que importa para mim na vida agora é isso.

Panelas limpas, louça lavada, roupa arrumadinha nos closets, gatinhos ronronando na minha barriga e mordendo minhas canelas, frigideiras tão bem cuidadas que não tem nenhum traço de gordura nelas, comida feita em casa, refeições em restaurantes simples mas que eu amo como o Antônio´s, apresentado pelo Rafa…

Panelas limpas. Sinal de que eu me tornei uma grande mulher, uma puta esposa, uma mãe doida mas que conseguiu criar uma filha foda, uma tia presente com quem meus irmãos podem contar para tudo, uma madrinha frustrada de um lindo príncipe com quem infelizmente não consigo encontrar como gostaria (uma das minhas maiores tristezas, coisas mal resolvidas dentro de mim, e grande parte das lágrimas agora), uma professora que estimula e acredita nos alunos, uma mulher…

Uma mulher que fez uso do que aprendeu com as mulheres antes dela. (Mar de lágrimas… rs)

Com um lar cheio de panelas limpas e uma vida cheia de pequenos momentos cheios de amor.

E o resto, só pra não perder o costume, fodaaaaaaaaaaasse!!!!